sábado, 23 de março de 2013

Alguma coisa deu errado


Ela se encontrou mergulhada em seu passado mais uma vez naquele dia. Jogada no sofá, em frente a TV, com uma revista boba nas mãos, um emaranhado na cabeça, e embrulhada nos seus moletons... O tempo frio lá fora parecia muito com sua rotina dos últimos dias. Essa cena havia se repetido pelas últimas 2 semanas. Era a mesma situação. O mesmo frio la fora e lá dentro. A mesma amargura.
         _Alguma coisa deu errado... – é o que ela sussurrava de tempo em tempo.
          Sua vida vinha sendo um extremo peso para se levar. Peso para ela, e para quem se importava com ela. Peso para seus pais, que tiveram que acolher sua filha totalmente desgastada, depois de tanto tempo. Depois de tudo...
          E agora, com todos os dedos acusadores voltados para ela, todo o caminho que ela havia regressado e todo o sentimento de frustração e solidão impregnados em seu coração, ela só conseguia pensar no rótulo que havia sido estampado em sua testa: DIVORCIADA!
          Ela estremecia cada vez que pensava nisso. Era quase uma ofensa. Era palavra que cortava seu coração, trazia lágrimas aos seus olhos e pesava sua mente. Não era o que ela queria. Não era o que ela havia planejado. Mas ela bem que sabia que dessas coisas não se sabe mesmo. Ninguém sabe, ninguém tem culpa e ninguém quer. Mas aconteceu! E aconteceu com ela... Mas por que? Qual critério o monstro chamado Desilusão utiliza pra quebrar os corações? Qual é a porta que chama a atenção dele? Quais são suas vítimas prediletas?
          Ela certamente achava: “Não eu!”. E gritava para a desgraça: “Não no meu lar!”. E debochava da desilusão: “Não comigo!”. E qualquer um que olhasse para ela sabia: “Essa vale mais do que rubis!”. “Ela é sábia, edificará sua casa!”. “Ela é princesa, íntima do Pai!”. Mas o problema não era ela. Eram as circunstâncias? O tempo errado? Sabe se lá... Moça linda, moça rara, moça pura, virtuosa...
          _Mas alguma coisa deu errado... – sussurrava de novo e de novo.
          _Por que as coisas dão errado até com os fieis? – choramingava no colo de Deus.
           Mas as coisas são assim mesmo. As coisas dão errado mesmo. As lutas aparecem mesmo. Seja para seguir em frente, para aprender uma lição ou para lutar contra... Só o Pai o sabe. Acontece que ela precisava cair na real, e descobrir que ela só é completa em Deus. Que seus vazios e suas feridas, é Ele que trata. Que seu rótulo é nada menos que “SEGUIDORA DE CRISTO”, e ninguém pode chamá-la de menos que isso! Deus a tem nas mãos, e ela é a menina dos olhos dEle. Pensando assim, ela até via uma luz no fim do túnel... Pensando assim, dava até pra ter esperança...


By : Layane Almeida
Reações:

2 comentários: